Motorista Comprometido

Motorista Comprometido
Arquivo: HighPluss Treinamentos, 2017.

Notícias

sábado, 25 de outubro de 2014

BR-376 é a rodovia mais violenta do Paraná

acidente BR 376
Os motoristas que trafegam pela BR-376, principal ligação entre o Noroeste e o Litoral do Paraná, têm motivos de sobra para ficarem apreensivos. Entre 1.° de janeiro de 2012 e 30 de junho de 2014, foram registrados 1.985 acidentes na rodovia, com um total de 11 mortes. Além disso, dos 20 trechos com mais acidentes nas estradas federais que cruzam o estado, nove se encontram na BR-376. Os dados são de um levantamento feito pelo Núcleo de Acidentes e Medicina Rodoviária (Nuram) da Polícia Rodoviária Federal (PRF).
Além dos nove trechos mais perigosos da BR-376 – sendo seis deles em Maringá, dois em Sarandi e um em São José dos Pinhais -, outros pontos problemáticos estão localizados em rodovias como as BRs 277, 476, 369 e 116, que passam por grandes cidades como Curitiba, Paranaguá, Cascavel, Foz do Iguaçu e Londrina. No total, 35 pessoas morreram entre janeiro de 2012 e junho desse ano nos 4 mil quilômetros de pistas paranaenses.
O maior número de acidentes se concentrou no km 175 e km 176 da BR-376, no perímetro urbano de Maringá, por onde passa a Avenida Colombo, que atravessa a cidade. Sozinhos, os dois trechos somaram 703 acidentes, com 246 feridos e uma morte.
Ranking
A BR-277 está em segundo lugar no ranking, com 772 registros de acidentes. Desse total, 302 pessoas precisaram de atendimento médico e 10 morreram. A estrada passa por Paranaguá, Cascavel e Foz. Já a BR-476, que passa por Curitiba, contabilizou 560 acidentes, com 226 feridos e 7 mortes.
O estudo direcionou ainda os principais pontos de colisões, com ou sem vítimas, com base no número de mortos e de feridos graves e leves. Dessa forma, foram atribuídos pesos diferentes para cada registro. Para isso, aplicou-se o índice utilizado pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) e também pelo Departamento de Infraestrutura de Transportes (Dnit), com números de 1 (que indica lesões leves) a 13 (para óbito).
Segundo o chefe do núcleo de acidentes da PRF, Fernando Costa, as principais causas de colisões são: excesso de velocidade, embriaguez ao volante, falta de atenção e ultrapassagem em local proibido. No caso de Maringá e Sarandi, onde os trechos cortam as cidades, também pode ser acrescido à lista o descumprimento à distância segura de um carro para outro e a desobediência à sinalização. “A imprudência, em todos os sentidos, é a responsável pelos acidentes”, conclui Costa.info_acidente_231014
Polícia rodoviária aposta em operações para reduzir número de acidentes
Após ter em mãos o levantamento dos acidentes nas rodovias federais do estado, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) lançou na semana passada as operações Perímetros Urbanos e Velocidades, que serão concentradas, a princípio, em trechos das rodovias de Maringá e Londrina. A ideia é reforçar a fiscalização e reduzir ao máximo a quantidade e a letalidade das colisões, conforme explica o chefe do núcleo de acidentes da PRF, Fernando Costa.
Vertentes
Além disso, as operações serão estendidas a todas as delegacias da PRF no Paraná nas próximas semanas. “O projeto se baseia em três vertentes: engenharia e sinalização, para estudarmos posteriormente o que pode ser feito para melhorar – como troca ou colocação de sinaleiro e trincheiras, por exemplo; fiscalização eletrônica; e policiamento reforçado nas estradas.” Costa afirma também que os resultados serão sentidos a curto, médio e longo prazo, conforme o tipo de ação realizada. O projeto não tem data para acabar.
Retorno
Como primeiro resultado, no km 156 da BR-369, em Londrina, um retorno foi fechado e um semáforo foi retirado após os policiais indicarem ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER) os perigos e a necessidade da mudança. “Indicamos a eles [DER] a construção de uma passarela e a construção de um novo retorno também, mas isso ainda não tem prazo”, ressalta Costa.
Publicado em 23/10/2014 no Blog do Caminhoneiro.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Multa por ultrapassagem irregular vai ficar até dez vezes mais cara

ultrapassagem irregular
partir do mês que vem, a multa para o motorista que for pego ultrapassando em trechos com faixa contínua terá seu valor, que hoje é R$ 191, aproximadamente cinco vezes mais caro, passando para R$ 957.
Uma das justificativas para mudança que afeta diretamente o bolso do condutor é de que agora ele irá “pensar” antes de iniciar uma ultrapassagem em local proibido. “É uma lei bem vinda, porque o aumento no valor da multa vai fazer com que o motorista fique mais receoso antes de cometer essa ultrapassagem proibida”, segundo o inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Aristides Júnior.
Minas Gerais tem a maior malha rodoviária do país e é um dos estados com mais multas por este tipo de manobra proibida. Fica atrás apenas do Paraná. De acordo com a PRF, por enquanto, não vai haver alteração no modo como a fiscalização é realizada. Em breve ela poderá ser feita através das câmeras de monitoramentos.
A mudança no Código de Trânsito Brasileiro, que institui o aumento no valor da multa, busca a redução do número de mortes, já que, ainda segundo o inspetor Aristides Júnior, hoje, muitos motoristas não se importam em cometer essa infração especificamente por saberem do baixo valor da multa. Se a infração for cometida novamente em até 12 meses o valor será em dobro, com a multa passando para R$ 1.915.
Fonte: O Tempo
Publicado em 22/10/2014 no Blog do Caminhoneiro.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Concorra a quatro livros - Promoção Blog do Caminhoneiro e HighPluss - Participe!

Serão sorteados 4 ganhadores nesta promoção. O Blog do Caminhoneiro, em parceria com a empresa HighPluss vai sortear quatro livros Motorista Comprometido - Um diferencial para os novos tempos, escrito por José Rovaní Kurz.
Acesse e saiba mais: https://www.facebook.com/BlogdoCaminhoneiro?fref=nf
YESGANHEI.COM




domingo, 12 de outubro de 2014

Caminhões de 9 eixos não poderão trafegar na rodovia SC-155

SC-155
A partir  da próxima segunda-feira (13), os caminhões considerados extra pesados (9 eixos), não poderão mais trafegar pela SC-155, rodovia que corta o estado catarinense, saindo do Rincão Torcido, estendendo-se até o Rio Grande do Sul. Com as intensas chuvas que atingiram o sul do Brasil no mês de junho, causou, dentre vários outros estragos, uma queda de barreira na BR-153, na altura da Campina da Alegria, em Irani, impossibilitando o trânsito na rodovia.
Com isso, os caminhoneiros que usavam esse trajeto para chegar ao litoral de Santa Catarina e ao Rio Grande, passaram a utilizar a SC-155 e a SC-480, como rota alternativa. Com o aumento no fluxo de veículos pesados, essas rodovias estão se tornando um “campo minado”, com buracos de grandes proporções, causando desconforto, estragos em veículos de pequeno e grande porte, além de acidentes constantes. No último sábado (04), as reformas na BR-153 foram concluídas e o trânsito liberado, porém, por não saberem da liberação, muitos caminhoneiros ainda utilizam os desvios.
Dessa forma, durante esta semana, a Polícia Rodoviária catarinense está realizando um trabalho de orientação aos motoristas que trafegam pelas rodovias estaduais, informando que o trânsito na BR-153 está normalizado e fazendo um relatório, com dados do caminhão e do motorista .
A partir da próxima semana, os condutores que desrespeitarem a ordem, serão multados tendo ainda que desacoplar um dos conjuntos do caminhão, levando um vagão de cada vez. O Deinfra (Departamento de Infraestrutura) deverá publicar uma portaria para restringir o trânsito desses veículos na rodovia estadual.
Publicado em 10/10/2014 no Blog do Caminhoneiro.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Pela quinta vez, Volvo é a melhor empresa para trabalhar no setor automotivo brasileiro

linha-de-montagem-volvo-fhO Grupo Volvo  América Latina foi reconhecido mais uma vez como a melhor empresa para trabalhar no setor automotivo brasileiro, de acordo com pesquisa realizada pela revista Você S/A, da editora Abril, em parceria com a Fundação Instituto de Administração da USP (Universidade de São Paulo). É a quinta vez que a companhia lidera este ranking entre as montadoras de veículos, máquinas e componentes instaladas no País. A Volvo  também foi destaque na categoria “Liderança”. Sediada em Curitiba, no Paraná, a Volvo produz caminhões, chassis de ônibus e equipamentos de construção e comercializa motores marítimos e industriais.
“É um orgulho ser a melhor do setor automotivo e estar entre as melhores do Brasil”, declara Roger Alm, presidente do Grupo Volvo América Latina. “Mais que uma premiação, ser reconhecida como a melhor do setor e uma das melhores empresas para trabalhar no Brasil é a prova de que estamos alinhados com as mais modernas práticas de gestão de pessoas. Essa posição nos dá um grande orgulho, pois é um reconhecimento dos nossos funcionários e agora da própria sociedade que estamos no caminho certo”, complementa Carlos Morassutti, vice-presidente de RH e Assuntos Corporativos do Grupo Volvo América Latina.
investimento contínuo da Volvo em desenvolver as suas lideranças e a relação delas com os demais funcionários e com a alta administração da companhia também foi reconhecido pela pesquisa “Melhores Empresas para Você Trabalhar 2014”. “Esta é uma importante distinção que mostra o esforço consistente que desenvolvemos para preparar e fortalecer as nossas lideranças”, afirma Carlos Ogliari, diretor de RH do Grupo Volvo América Latina.
Felicidade no trabalho
Premio VolvoA pesquisa divulgou o alto Índice de Felicidade no Trabalho na Volvo, que chegou este ano a 90,1, maior do que os 89,5 obtidos no ano passado. O Índice de Qualidade no Ambiente de Trabalho (IQAT) também foi multo alto, 88,6. Os funcionários também aumentaram a já elevada pontuação para a empresa, que ficou com 93,4 no Índice de Qualidade na Gestão de Pessoas (IQGP), ante os 91,1 do levantamento anterior.
O guia revela que todos os outros indicadores também foram altamente positivos. De acordo com a revista, 93,7% dos funcionários identificam-se com a empresa e 89,3% afirmam estar satisfeitos e motivados, número ainda superior aos 88,7% registrados na pesquisa do ano passado. O percentual de aprovação dos líderes continua muito elevado, 86,4% do total e praticamente igual ao número da pesquisa anterior, de 86,9%.
Neste ano, a 18ª edição do Guia Você S/A empresas de 18 setores da economia se inscreveram. A publicação destaca as empresas que mais investem e alcançam resultados na satisfação e motivação dos funcionários. O levantamento avalia as empresas com base no IFT, que é calculado a partir da combinação entre o IQAT e o IQGP.
Com mais de 6 mil funcionários no Brasil, a Volvo esteve sempre presente entre as 10 melhores do País neste levantamento: foi o primeiro lugar em 2008, obteve a segunda posição em 2010, a terceira em 2009, a quinta em 2007 e, novamente, foi a melhor para trabalhar no Brasil em 2011. A empresa sempre esteve entre as cinco melhores empresas desde 2007.
Fonte: Volvo
Publicado em 10/10/2014 no Blog do Caminhoneiro.

sábado, 4 de outubro de 2014

Denatran planeja criar centro de testes de colisão no Brasil

crash-test-nova-ranger
O Departamento Nacional de Trânsito  (Denatran) planeja dar um passo além nos testes de resistência dos veículos vendidos no Brasil. Conforme explica o órgão, está em pauta a criação de um inédito centro independente para realização de provas de impacto no país. De acordo com Daniel Tavares, analista de infraestrutura da entidade, o projeto está em fase de consolidação e será viabilizado em parceria com o Universidade de Brasília (UnB).
De acordo com Tavares, o novo centro proporcionará ao Denatran em especial a realização de ensaios de homologação. Além disso, será responsável por promover conhecimentos técnicos e científicos na área, sempre com foco no aprimoramento da qualidade dos carros produzidos no Brasil. Todo o projeto foi apresentado no Seminário de Segurança Veicular promovido pela Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA).
Atualmente as provas que avaliam os automóveis brasileiros são praticamente todas feitas fora do país – o LatinNCAP, por exemplo, realiza todos os testes na Alemanha.
Fonte: Carplace
Publicado em 03/10/2014 no Blog do Caminhoneiro.