Motorista Comprometido

Motorista Comprometido
Arquivo: HighPluss Treinamentos, 2017.

Notícias

domingo, 28 de outubro de 2012

Pesquisa CNT de Rodovias 2012: piora estado geral das rodovias


No ano passado, 57,4% da extensão rodoviária foi classificada como regular, ruim ou péssima, contra 62,7% este ano.

Quase dois terços das rodovias pavimentadas do Brasil estão em situação regular, ruim ou péssima. É o que aponta a 16ª edição da Pesquisa CNT de Rodovias, divulgada nesta quarta-feira (24) pela Confederação Nacional do Transporte.

De acordo com o levantamento, dos 95.707 quilômetros avaliados, 33,4% foram considerados em situação regular, 20,3%, ruim e 9%, péssima. Outros 27,4% estão em bom estado e 9,9% em ótimo. Se comparados com os dados da pesquisa de 2011, houve piora na qualidade das estradas nacionais. No ano passado, 57,4% foram classificadas como regulares, ruins ou péssimas, contra 62,7% este ano.

Para fazer a análise, 17 equipes de pesquisadores da CNT percorreram todas as rodovias federais e as rodovias estaduais mais relevantes do Brasil, ampliando em 2.960 km a extensão avaliada na comparação com o que foi feito em 2011. Os aspectos que embasam a pesquisa são a qualidade de pavimentação, a sinalização e a geometria da via.

Para o presidente da CNT, senador Clésio Andrade, "os resultados apresentados neste relatório subsidiam a elaboração de políticas públicas de manutenção de rodovias pelos governos federal, estaduais e municipais, assim como a criação de marcos legais que traduzam as necessidades de uma infraestrutura rodoviária condizente com os desejos de progresso do Brasil".

Se em 2011 a sinalização era considerada ótima ou boa em 43,1% das rodovias, esse número foi reduzido para 33,8% este ano. A geometria da via também registrou queda, embora de menor percentual. Em ótimo ou bom  estado eram 23,2% do total, agora são 22,6%. O único quesito com melhorias foi o de pavimento. As rodovias avaliadas como ótimas ou boas neste ponto passaram de 52,1% do total para 54,1% nesta edição.

Ainda sobre a sinalização, o levantamento mostra que ela é satisfatória (ótima ou boa) em 33,7% da extensão avaliada, sendo que 60,6% dela conta com acostamento e 88,1% tem predominância de pista simples de mão dupla.

De 2011 para 2012, houve aumento de 28,1% na quantidade de rodovias com faixa central desgastada ou inexistente; de 27,7% de faixas laterais desgastadas ou inexistentes e acréscimo de 36% de erosões na pista. Além disso, em 20.279 km há placas totalmente cobertas pelo mato, o que representa 21,2% da extensão rodoviária pavimentada.

Tipos de rodoviassantacatarina241012.jpgO estudo avaliou 65.273 km de rodovias federais e 30.434 km de rodovias estaduais sendo que, dessas, 80.315 km estão sob gestão pública e 15.392 km sob gestão de concessionárias.

Enquanto apenas 27,8% das rodovias sob gestão pública estão em ótimo ou bom estado, o percentual positivo das rodovias concedidas é de 86,7%.

Regiões e estados
No Sudeste, foram avaliados 27.187 km de rodovias; no Nordeste, 26.739 km; No Sul, 16.842 km; Centro-Oeste, 14.546 km e, no Norte, 10.393 km.

O levantamento também mostra os resultados por estado e também no Distrito Federal. A unidade com o maior percentual de rodovias em ótima situação é São Paulo, com 49,9% do total, seguida por Rio de Janeiro (20,6%) e Paraná (18%).

Os estados com maior percentual de estradas em péssimas condições são o Acre (38% do total), Roraima (25,3%) e Amazonas (22,5%).

Ligações Rodoviárias
A Pesquisa CNT de Rodovias faz o ranking de 109 ligações rodoviários, que são trechos regionais que interligam territórios de uma ou mais unidades da federação. Essas extensões têm importância socioeconômica e volume significativo de tráfego de veículos de cargas e/ou de passageiros.

A ligação mais bem avaliada é o trecho entre São Paulo (SP) e Limeira (SP). Entre as dez melhores, nove interligam municípios de São Paulo e uma liga um município de São Paulo a um de Minas Gerais (Rio Claro a Itapetininga).

Entre as dez piores ligações, a maioria está no Norte, Nordeste e Centro-Oeste, com destaque negativo para o trecho que vai de Rio Verde a Iporá, municípios de Goiás e de Natividade (TO) a Barreiras (BA).

Histórico
Desde que começou a ser feita, em 1995, a Pesquisa CNT de Rodovias vem registrando aumento da extensão de rodovias pavimentadas avaliada. Naquele ano foram 15.710 km.

As 17 equipes de pesquisadores da CNT saíram simultaneamente de 12 capitais neste ano - Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Campo Grande, Fortaleza, São Luís, Rio Branco e Belém – para a coleta de  informações.

Confira o estudo completo, o resumo com os principais dados e fotos das principais rodovias na página especial da Pesquisa CNT de Rodovias 2012.

Aerton Guimarães - Agência CNT de Notícias
Publicado em 24/10/2012 na Agência CNT de Notícias

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Senado vota cinto de três pontos para ônibus e ANTT vai ser investigada na tragédia do ônibus da Viação 1001



1001 acidente
Ônibus 2212 da Auto Viação 1001 que caiu de uma ribanceira de 10 metros, fotografado em outro dia por admirador de transportes. Quinze pessoas morreram. Tragédia traz de volta o debate sobre a importância do uso do cinto de segurança em ônibus. Projeto no Senado quer que equipamento tenha três pontos. Foto: Fernando Silva
Senado vota cinto de três pontos para ônibus
Discussão ganhou mais fôlego depois de tragédia com ônibus da 1001
ADAMO BAZANI – CBN
Os ônibus rodoviários poderão ser obrigados a ter cintos de segurança de três pontos. Desde 1997, os veículos de serviços intermunicipais com características rodoviárias devem oferecer o cinto subabdominal.
Tramita no Senado Federal projeto número 4254/12 do senador Geraldo Resende, do PMDB do Mato Grosso do Sul, que torna obrigatório o equipamento mais moderno nos veículos rodoviários.
Apenas os ônibus de características urbanas, nos quais os passageiros podem viajar em pé, ficam fora da obrigatoriedade, como ocorre com o atual modelo de cinto de segurança nos veículos de transporte rodoviário.
Para o senador, apesar de ser importante, o cinto subabdominal não garante proteção total aos passageiros.
O modelo evita que as pessoas sejam lançadas dentro do salão de passageiros ou mesmo para fora dele, mas não impede que os usuários batam no banco da frente, nas divisórias, no passageiro ao lado ou mesmo contra as janelas.
O cinto hoje obrigatório nos ônibus não deixa que as pessoas sejam arremessadas, mas não segura a coluna vertebral no encosto da poltrona.
De acordo com a proposta do senador, as empresas de ônibus e as fabricantes devem ter um ano para se adaptarem após a publicação da lei, prazo que o Contran – Conselho Nacional de Trânsito pode regulamentar o uso.
O projeto vai ser analisado em caráter conclusivo, ou seja, sem a necessidade de votação em plenário, pela Comissão de Viação e Transportes e Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania.
Ainda não há data para a votação nas Comissões.
POUCO USADO, POUCO DIFUNDIDO
Dados da CNT – Confederação Nacional dos Transportes revelam que apenas 2% dos passageiros de ônibus rodoviários usam o cinto de segurança. As empresas de ônibus são obrigadas a orientarem os passageiros a bordo, com explicações do motorista ou de um agente da empresa, mas isso raramente acontece.
TRAGÉDIA COM A 1001 DÁ MARGEM ÀS DISCUSSÕES:
O uso do cinto de segurança em ônibus voltou a ser alvo de discussões depois do acidente com um ônibus da Auto Viação 1001 que ocorreu na última segunda-feira, dia 22 de outubro, na Serra de Teresópolis, região de Guapimirim, na Baixada Fluminense.
Quinze pessoas morreram quando o veículo saiu da estrada e caiu numa ribanceira de uma altura de 10 metros aproximadamente.
De acordo com relatos de sobreviventes, o motorista Eduardo Fernandes, de 44 anos, alertou pouco antes da queda que todos sentassem e usassem o cinto de segurança.
Fernandes morreu no acidente.
Nem todos os passageiros usaram o cinto. Ainda de acordo com os relatos, as pessoas que seguiram a recomendação e fizeram uso do equipamento foram as que menos se feriram.
Muitos passageiros ficaram em pânico por conta do descontrole do ônibus e ficaram em pé no veículo. O ônibus, segundo a Polícia Rodoviária Federal, chegou a aproximadamente 80 km/h, sendo que o trecho permitia velocidade de 60 km/h.
Testemunhas também disseram ter visto o ônibus pouco antes da queda com pisca-alerta ligado e com sinais de farol, o que indicava que o motorista tentava controlar o veículo.
A Auto Viação 1001, em nota, afirmou que o veículo carroceria Marcopolo 1200 Geração 6, chassi Scania K 124, tinha passado por todas as vistorias, sendo a última no dia 10 de outubro. A empresa também afirmou que dá toda assistência às famílias de quem perdeu a vida e aos feridos e que vai colaborar com as investigações.
Dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT mostram que a empresa só neste ano recebeu 183 multas por diversas irregularidades. O Detro – Departamento de Transportes do Estado do Rio de Janeiro aplicou 553 multas contra a Auto Viação 1001, boa parte por não ter realizado inspeções.
ANTT VAI SER INVESTIGADA:
A ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres afirmou que vai realizar fiscalizações com maior rigor nas garagens da 1001, que hoje tem cerca de 700 veículos. A empresa opera exclusivamente linhas de alta demanda e mantém boa parte de trajetos importantes com companhias pertencentes ao mesmo grupo, JCA, como entre Rio e São Paulo.
Mas a ANTT também vai ser investigada. A Defensoria Pública da União vai apurar as responsabilidades da ANTT no acidente.
A Defensoria quer saber se houve falha de fiscalização e inspeção não somente no veículo prefixo 2212, envolvido na queda, como em toda a frota da companhia.
As causas do acidente ainda serão determinadas. Um laudo deve ficar pronto em 15 dias.
VÍDEO MOSTRA ÔNIBUS MOMENTOS ANTES DA QUEDA:
O vídeo exibe o ônibus já sem controle e saindo da rodovia. Quando ele foi exibido, o número de mortos ainda era de 13.
Publicado em 25/10/2012 por Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes. Blogpontodeonibus.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Câmara de Curitiba aprova fim da dupla função em ônibus



onibus

Vereadores de Curitiba aprovaram o fim da dupla função nos ônibus da capital nos quais motoristas dirigem e cobra ao mesmo tempo. Segundo ele, além de contrariar as leis trabalhistas com um profissional exercendo duas atividades ao mesmo tempo com um salário só, dirigir e cobrar é tão perigoso quanto dirigir e falar ao celular. Foto: Adamo Bazani
Curitiba aprova obrigatoriedade de cobradores em ônibus
Apenas os Ligerinhos podem continuar operando sem cobrador já que o pagamento da passagem é feito na estação tubo antes do embarque
ADAMO BAZANI – CBN
Defendida pela empresas de ônibus que acabam economizando com salários, a dupla função do motorista de veículo urbano, que dirige e cobra ao mesmo tempo, começa a enfrentar resistências em diversas cidades.
Diadema, na Grade São Paulo, já tem um projeto na Câmara para acabar com a prática. Na segunda-feira, dia 22, a Câmara de Uberlândia, em Minas Gerais, aprovou a obrigatoriedade da presença dos cobradores nos veículos urbanos. Nesta quarta-feira, depois de muita polêmica, foi a vez de Curitiba, no Paraná, determinar, também em votação na Câmara Municipal, o fim da dupla função no transporte coletivo de passageiros.
A proposta do vereador Denilson Pires (DEM) foi aprovada em primeiro turno do dia 19 de abril deste ano, mas a oposição pediu uma série de mudanças no texto. Depois de vários adiamentos, só nesta quarta-feira dia 24 de outubro, houve a segunda votação e a aprovação do projeto de lei.
Agora a redação final deve ser concluída para o projeto ser sancionado ou não pela Prefeitura de Curitiba.
O projeto de lei prevê para empresa que for flagrada pela primeira vez com motorista exercendo dupla função advertência escrita e prazo de 30 dias para defesa. Em caso de reincidência, será aplicada multa de R$ 10 mil correspondente a cada veículo. Depois do julgamento, se o problema persistir, a empresa de ônibus pode perder o direito de operar.
As companhias de ônibus têm até 120 dias para se adequarem ao projeto a partir da publicação da lei.
O vereador disse que o fato de o motorista dirigir e cobrar fere princípios da lei trabalhista e do Código de Trânsito Brasileiro. Pela lei trabalhista, segundo ele, um profissional não pode exercer duas funções ao mesmo tempo e com uma única remuneração, mesmo que ganhe um bônus para isso. Do ponto de vista do trânsito, o princípio é o mesmo da proibição de dirigir e falar ao celular. Nenhum outro ato pode ser exercido pelo motorista se atrapalhar a sua atenção, como é manipular o dinheiro das passagens e do troco.
Os vereadores que defendem o fim da dupla função dizem que é perigoso para o motorista, para os passageiros e pessoas que estão à volta do ônibus, a pé ou em outros carros, o fato de o condutor do ônibus ter sua atenção prejudicada. Além disso, dirigir e cobrar pode causar aumento do estresse que já é grande na profissão.
As empresas, não só de Curitiba mas de outras cidades, argumentam que a profissão de cobrador tem perdido a utilidade com o advento da bilhetagem eletrônica e que este tipo de função fica ociosa na maior parte da viagem.
A medida no Paraná só não vale para os ônibus prata do serviço denominado “Ligeirinho” cuja passagem é paga antes do embarque nas estações-tubo.
Publicado em 24/10/2012 por Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes. Blogpontodeonibus.

A importância do uso do cinto em ônibus. ANTT vai reforçar fiscalização na 1001


1001
Ônibus 2212, que se envolveu em acidente, fotografado por admirador de transportes. Polícia vai veirificar se veículo estava com falhas mecânicas. Quinze pessoas morreram quando o motorista perdeu o controle e caiu numa ribanceira na Baixada Fluminense. De acordo com testemunhas, quem estava com cinto de segurança foi menos afetado. Motorista teria pedido para passageiros sentarem e usarem o cinto, antes da queda. Foto: Renan Watanabe
Cinto de segurança em ônibus é pouco usado por passageiros
Estudos comprovam que uso pode evitar graves lesões e salvar vidas
ADAMO BAZANI – CBN
A tragédia envolvendo um ônibus da Auto Viação 1001 na tarde de segunda-feira que ao cair numa ribanceira na Serra de Teresópolis, região de Guapimirim, na Baixada Fluminense, provocou a morte de 15 pessoas, levantou mais uma vez o tema sobre o pouco uso do cinto de segurança por parte de passageiros de ônibus.
O cinto não evita o acidente, mas diminui suas proporções.
De acordo com relatos de passageiros do veículo que sobreviveram , ao Jornal O Dia, o motorista Eduardo Fernandes, de 44 anos, que também morreu, alertou a todos os usuários a se sentarem e usarem o cinto de segurança pouco antes de cair de uma altura de 10 metros. Relatos ainda dão conta que os passageiros que seguiram a orientação e colocaram o cinto foram os menos atingidos.
Ainda de acordo com estas testemunhas, muitos usuários desesperados antes de o ônibus cair, ficaram em pé no veículo, que já estava em alta velocidade e sem controle. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o veículo atingia cerca de 80 km/h sendo que o máximo permitido para o trecho é de 60km/h.
A questão do baixo uso do cinto de segurança em ônibus é grave.
De acordo com a CNT – Confederação Nacional dos Transportes – apenas 2% dos passageiros usam o equipamento de segurança.
A presença do cinto em ônibus intermunicipais e interestaduais de característica rodoviárias é obrigatória desde 1997.
No caso do ônibus, além de evitar que o passageiro bata a cabeça no banco da frente ou nas divisórias do veículo, também impede que a pessoa seja lançada dentro ou mesmo para fora do salão de passageiros, que é bem maior que um veículo de passeio, cujo uso do cinto, por lei, virou hábito.
Estudos dão conta que estes fatores ligados ao lançamento das pessoas pelo ônibus são algumas das maiores causas de mortes.
ANTT VAI INTENSIFICAR FISCALIZAÇÃO NA 1001:
Depois da tragédia envolvendo o ônibus 2212 da Auto Viação 1001, a ANTT – Agência Nacional dos Transportes Terrestres disse que vai intensificar a fiscalização nas garagens da empresa.
Só neste ano, a ANTT emitiu 183 multas contra a 1001 por diversos fatores. Já o Detro – Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro aplicou 553 multas. A falta da realização da inspeção obrigatória foi um dos principais motivos, de acordo com a autarquia.
Em nota, a Auto Viação 1001 disse que o veículo passou por todas as vistorias e estava com a manutenção em dia. O ônibus 2212 passou por inspeção no último dia 10, segundo a companhia. A empresa ainda acrescentou que presta assistência às famílias das vítimas que perderam a vida e aos feridos.
O motorista que morreu no acidente trabalhava há pouco mais de quatro anos na empresa.
Não estão descartas as hipóteses de falha mecânica ou mesmo de o condutor não ter passado bem.
Publicado em 24/10/2012 porAdamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes (com agências). Blogpontodeonibus

terça-feira, 16 de outubro de 2012

SINIAV em todo o território nacional


RESOLUÇAO Nº 412 DE 09 DE AGOSTO DE 2012.

Dispõe sobre a implantação do Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos
SINIAV em todo o território nacional.


O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO, no uso das atribuições que lhe são
conferidas pelo art.12, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que instituiu o Código de
Trânsito Brasileiro, e nos termos do disposto no Decreto nº 4.711, de 29 de maio de 2003,
que trata da coordenação do Sistema Nacional de Trânsito e;


Considerando o que consta do Processo nº 80000.038562/2009-10;
Considerando a necessidade de participação de todos os órgãos do Sistema
Nacional de Trânsito no processo de implantação do  Sistema Nacional de Identificação
Automática de Veículos;
 

Considerando a necessidade de prévia homologação dos equipamentos que irão
operar no SINIAV e adequação dos sistemas informatizados do DENATRAN, o que exigirá
ajuste no prazo para a implantação do Sistema Nacional de Identificação Automática de
Veículos nas Unidades da Federação;


Acesse o site e conheça melhor a Resolução 412.

Publicado no site http://www.denatran.gov.br/download/Resolucoes/(Resolu%C3%A7%C3%A3o%20412.2012).pdf

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

10ª edição do Simpósio de Responsabilidade Civil no TRC debate a nova legislação da profissão de motorista

A décima edição do Simpósio de Responsabilidade Civil no Transporte Rodoviário de Cargas, que aconteceu na última sexta-feira (28), em São Paulo, contou com o auditório lotado. O evento, realizado todos os anos pela Associação Nacional dos Transportadores de Carga e Logística (NTC&Logística), Sindicato dos Transportadores de Cargas do Estado de são Paulo (SETCESP) e pela Federação dos Transportadores de Cargas do  Estado de São Paulo (FESTCESP), teve como tema “Análise das implicações da Lei 12.619/2012”.

Durante todo o dia, juristas, magistrados, desembargadores e advogados debateram o transporte rodoviário de cargas dentro da sua nova legislação reguladora, a Lei 12.619 de 30 de abril de 2012. O presidente da NTC&Logística, Flávio Benatti, participou de abertura do Simpósio e falou da importância da nova legislação dentro do setor de transportes, que ainda não era regulamentado, mas que já existe desde a década de 50. “Saímos de um cenário de total descontrole, para um momento de regulamentação com carga horária rígida, horas de descanso e mudanças no CTB e CLT”, afirmou Benatti.

Publicado 01/10/2012 pela NTC & Logística  no site http://www.portalntc.org.br

Manutenção preventiva gera economia e diminui acidentes


Motoristas devem estar atentos às condições das peças e componentes dos veículos.

Foto: Júlio Fernandes/Agência Full TimeManutenção preventiva gera economia e diminui acidentes
Motoristas da cidade de São Paulo podem realizar uma avaliação gratuita dos itens de seguranças dos veículos. A iniciativa é do Programa Carro 100%, cujo objetivo é conscientizar os condutores sobre a importância de realizar a manutenção preventiva dos automóveis, prática que gera economia e diminui o risco de acidentes nas ruas e estradas.

Até o fim do ano, os motoristas interessados no ‘check-up’ podem se dirigir ao Auto Shopping Cidade, na Marginal Pinheiros, das 10h às 15h, de segunda a sexta-feira. Em poucos minutos, o carro passa por uma linha de estação automatizada  a mais moderna do país, e são verificados itens como suspensão, rodas, freios, fluido de freio e alinhamento dos faróis. No final, o condutor receber um relatório sobre as condições do automóvel. 

De acordo com dados do Instituto Scaringella Trânsito, a falta de manutenção preventiva dos veículos está relacionada à ocorrência de 27% dos acidentes urbanos e rodoviários no Brasil. Como a maioria dos motoristas só procura oficinas e concessionárias quando as peças apresentam defeito, os carros ficam mais vulneráveis a panes, causam congestionamentos e prejudicam o trânsito.

“Antes de colocar um veículo em circulação, é preciso saber operá-lo, conduzi-lo de forma eficaz. O primeiro quesito é a questão da segurança e da dirigibilidade, ou seja, saber se os componentes e peças do carro estão no tempo de vida útil, se não estão com desgaste prematuro”, explica à Agência CNT de Notícias o técnico de formação do Sest Senat de São Gonçalo (RJ), Edson Teixeira.

manutencao3_08102012.jpgEm relação à economia, a estimativa é que a manutenção preventiva seja 30% mais barata que a corretiva. “Se utilizar de forma correta os componentes e evitar desgastes físicos, o motorista deixa de arcar com custos como a troca de uma peça. Pode conduzir o veículo em uma distância maior, além de priorizar a sua segurança e saúde”, destaca o técnico.

Sobre a troca das peças, o Programa Carro 100% orienta que o ideal é procurar uma oficina de confiança, onde um profissional capacitado tem condições de identificar a autopeças mais adequadas o veículo. Se a compra for feita diretamente em uma loja de autopeças, é precisar se atentar à procedência, verificar o CNPJ do fabricante e se a embalagem não está violada, além de exigir a nota fiscal.

Segundo um levantamento realizado em 40 mil oficinas, os serviços de manutenção preventiva mais executados são os de reparos em peças dos sistemas de injeção eletrônica, freios, embreagem, suspensão e troca de óleo. Antes de uma viagem, os cuidados com esses itens devem ser uma das principais preocupações do motorista.

Publicado em 08/10/2012 pelo Rosalvo Streit - Agência CNT de Notícias no site http://www.cnt.org.br

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Rodovias federais terão placas em português, inglês e espanhol


DNIT deve iniciar implantação da nova sinalização nas cidades-sede da Copa do Mundo

Foto: Arquivo/Ministério do PlanejamentoRodovias federais terão placas em português, inglês e espanhol
As rodovias federais brasileiras receberão, em 2013, placas em inglês e espanhol. A ação faz parte do Programa Nacional de Segurança e Sinalização Rodoviária (BR-Legal), do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). O objetivo é atender as necessidades de adaptação do país para receber a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

Assim, as primeiras placas irão para as doze cidades-sede da Copa e, em seguida, para as cidades que já contam com representativa movimentação turística. O DNIT também pretende ampliar a sinalização com a implantação de mais sinalizadores reflexivos e sonorizadores nas estradas.

De acordo com o órgão, uma licitação estimada em R$ 4 bilhões deve ter início no próximo mês.​

Publicado em 08/10/2012 pela Agência CNT de Noticias no site http://www.cnt.org.br

terça-feira, 9 de outubro de 2012

OURO E PRATA e MARCOPOLO: Top Ser Humano


Top ser Humano
Funcionários da Viação Ouro e Prata recebem premiações no Programa Motorista Show, criado pela empresa em 2005. Objetivo é melhorar atendimento ao passageiro. Por causa da iniciativa, empresa de ônibus vai receber o Prêmio Top Ser Humano, da Associação Brasileira de Recursos Humanos. Pesquisa de satisfação do cliente mostra aprovação de 97,8% dos passageiros em relação à conduta dos motoristas. Foto: Divulgação Ouro e Prata.
Ouro e Prata e Escola de Formação da Marcopolo recebem prêmio por se preocupar com o bom atendimento e com a responsabilidade social
Empresa de ônibus rodoviários conquistou o Prêmio Top Ser Humano pela iniciativa do Programa Motorista Show. Encarroçadora foi reconhecida por manter escola de Formação que ajuda na qualificação profissional de jovens que precisam ded ajuda
ADAMO BAZANI – CBN
Com as novas exigências do mercado de transportes, no qual o passageiro está mais consciente de seus direitos como consumidor, um bom motorista de ônibus não é aquele apenas que opera um veículo de grande porte. Ele deve atender ao passageiro, prestar serviço e se torna o principal contato entre a empresa de ônibus e o usuário.
Buscando passar esta realidade aos profissionais, a Viação Ouro Prata, empresa de ônibus intermunicipais e rodoviários que serve os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Pará, criou em 2005 o Programa Motorista Show que uma vez por mês e ao final de cada ano, premia os motoristas que se destacaram pelo melhor atendimento ao passageiro e pela conduta adequada à direção.
E neste dia 24 de outubro, será a vez de a empresa ser reconhecida pela iniciativa. A Viação Ouro e Prata, por conta do programa, vai receber o Prêmio Top Ser Humano da ABRH – Associação Brasileira de Recursos Humanos.
A ABRH, que criou o prêmio em 1933 para estimular empresas e profissionais para boas práticas na área de gestão de pessoas, levou em conta os resultados do Programa Motorista Show, que conseguiu diminuir o número de ocorrências e de reclamações quanto aos serviços da empresa de ônibus, que conquistou a categoria Comunicação Interna e Externa.
Os motoristas recebem mensalmente prêmios como TVs, home theater, notebook, aparelhos de jantar e caixas de ferramentas, e ao final do ano, os motoristas que se qualificaram nos 12 meses concorrem cada um a R$ 10 mil.
Mas não é só a premiação estímulo para os profissionais.
Eles recebem palestras, orientações e têm contato com exemplos reais que os ajudam não só na execução dos serviços como também na vida pessoal e em família.
Alguns requisitos são exigidos dos motoristas para concorrerem.
- No início de cada viagem, eles devem se apresentar aos passageiros.
- Nas viagens não deve haver ocorrências de bagagens perdidas ou trocadas.
- O motorista não deve estar envolvido em acidentes de trânsito.
- Não deve viajar com acompanhantes na cabine sem autorização.
- Não pode receber multas de trânsito.
- Não deve ultrapassar os limites de velocidade, o que também é apurado pelo tacógrafo do ônibus.
- Evitar faltas sem justificativa.
A avaliação dos motoristas é feita pelos gestores da empresa e o motorista que não foi escolhido em um determinado mês, pode pedir a indicação desde que apresente justificativas.
Como a atuação da empresa é em vários estados, para haver mais equilíbrio na premiação, foram criados 12 grupos regionais.
De acordo com a Viação Ouro e Prata, depois da criação do Programa, o índice de satisfação dos passageiros quanto à dirigibilidade é de 97,8%, resultado apurado por pesquisa de satisfação dos clientes nas salas Vip da companhia de ônibus.
ESCOLA DE FORMAÇÃO DA MARCOPOLO:
Top Ser Humano
Escola de Formação Profissional da Marcopolo já foi responsável por qualificar profissionalmente mais de 1 mil alunos em 22 anos de existência. Hoje tem quator unidades, sendo três no Brasil e uma na África do Sul. Boa parte dos alunos é aproveitada pela própria empresa e segue carreira. Por conta da iniciativa, encarroçadora também recebeu o Prêmio Top Ser Humano, da Associação Brasileira de Recursos Humanos. Foto: Divulgação

Já na categoria Empresas, a Associação Brasileira de Recursos Humanos, no Rio Grande do Sul, premiou a iniciativa da Escola de Formação Profissional da Marcopolo. O prêmio também será entregue no dia 24 de outubro.
A fabricante de ônibus criou a escola em 1990. Nestes 22 anos, a iniciativa foi responsável pela formação de mais de mil jovens que se tornaram profissionais da indústria. Boa parte da mão de obra formada é aproveitada pela própria Marcopolo.
A escola mantém convênio com o Senai e beneficia jovens das comunidades próximas, inclusive os considerados em situação de vulnerabilidade social. Também há parceria com a FAS – Fundação de Assistência Social e com a Universidade de Caxias do Sul, especialmente para o setor de plásticos.
Além de terem oportunidade de se qualificarem profissionalmente, tendo um encaminhamento para o futuro, os jovens atendidos pela Escola de Formação Profissional Marcopolo têm benefícios semelhantes aos funcionários da empresa, como bolsa de estudo, primeiro emprego remunerado e plano de carreira dentro da companhia.
Atualmente, a escola tem quatro unidades: duas em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, uma em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, e uma na fábrica da Marcopolo, na África do Sul.
A Marcopolo também deve inaugurar na Unidade de Ana Rech, em Caxias do Sul, um novo Centro de Treinamento, que vai ampliar o número de pessoas com oportunidade de acesso à capacitação e qualificação para jovens e adultos, além de contribuir para o aperfeiçoamento da mão de obra mais experiente da empresa.
Publicado em 09/10/2012 por Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes. Blogpontodeonibus

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Motoristas encaram o desafio de conciliar os estudos com a vida na boleia


Transformar a boleia numa sala de estudos é possível. O caminhoneiro consegue, mesmo viajando sempre, arrumar um jeito de estudar e seguir se qualificando. A experiência de Roberto Emerson de Pinho, 39 anos, no curso de segurança do trabalho, oferecido por Educação à Distância (EAD) no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFF), mostra que, com dedicação, estudar e tirar o sustento da vida de estradeiro exige apenas vontade.
Natural de Itaperuna, no Rio de Janeiro, e atuando como motorista desde 1991, foram as palestras sobre segurança na empresa que despertaram o interesse do caminhoneiro pelo assunto, tema de debates recorrentes na profissão. Vislumbrando uma possibilidade de crescer na empresa em que trabalhava, ou mesmo em outras do setor, Pinho aventurou-se no curso. “Nas empresas ouvimos falar muito sobre segurança, há muitas palestras e cursos sobre o assunto, e vemos que estamos cercados por colegas sem qualificação. Percebi a necessidade das empresas e me motivei para passar de simples motorista para algo mais”, conta.
Dividir a estrada com os livros, contudo, não foi tarefa fácil na vida de Pinho. Trabalhando com transporte rodoviário interestadual, o contato com os perigos das estradas eram diários, como se estivesse visualizando na prática alguns dos aprendizados do curso. “Chegava a estudar nos postos de gasolina, mas o grande problema para nós motoristas é a frequência. A oportunidade de fazer à distancia facilita muito, mas muitas vezes os dias de provas e aulas presenciais não coincidem com os dias em que você está na cidade”, explica.
Pinho precisou trancar a matrícula. Um acidente o deixou com algumas sequelas, e ele está longe da direção e dos estudos até se recuperar. Uma greve na universidade também contribuiu, segundo ele. “Com certeza quero voltar, tranquei para não desperdiçar a oportunidade. Minha ideia é deixar a profissão de motorista para trás, para continuar em outro segmento, ou mesmo na área de transporte, mas em algo mais técnico”, afirma.
Preparação para o vestibular entre as viagens
Outro exemplo de batalha pela qualificação vem de Balneário Camboriú, em Santa Catarina. O motorista Fábio Júnior Bueno, 29 anos, se prepara para prestar vestibular. “Eu não tinha terminado os estudos, agora fiz o terceirão e estou me preparando para o vestibular”, revela. A intenção é conseguir alguma bolsa do governo ou um apoio na empresa onde trabalha.
Bueno ainda não decidiu a área que irá cursar, tem interesse em engenharia civil e arquitetura, mas ainda não tomou uma decisão, quer mesmo é se tornar um exemplo para a filha e outros motoristas. “Perdi muito tempo na vida quando era novo, larguei os estudos para trabalhar e ser independente, achei que o dinheiro era mais importante naquele momento. Hoje vejo o quanto eu perdi, espero evoluir para ter meu próprio negócio no futuro”, sonha.
Fonte: Terra

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Ford procura o motorista de caminhão mais econômico do Brasil na Caravana Econoshow


A Ford Caminhões promove, até dezembro, a Caravana Ford Econoshow, programa que vai percorrer 13 cidades do Brasil com palestras técnicas, vídeos e test-drive dos caminhões Cargo 2429 e Cargo 1933 para frotistas e motoristas autônomos. Outra atração da caravana é o concurso “O Motorista Mais Econômico do Brasil”, que vai premiar o vencedor com um Ford Cargo 1933, entregue pela dupla Chitãozinho & Xororó.
“O objetivo da Caravana Ford Econoshow é dar aos frotistas e autônomos a oportunidade de conhecer na prática as vantagens da nova linha Cargo com motorização Euro 5, além de outras informações importantes para aumentar a eficiência da operação de transporte”, diz Pedro de Aquino, gerente de Marketing da Ford Caminhões.
Com os novos motores Euro 5, os caminhões Ford Cargo ganharam em média 10 cv na potência e ficaram cerca de 6% mais econômicos no consumo de diesel, além de reduzir em 80% a emissão de poluentes com a tecnologia de redução catalítica seletiva (SCR). Outras vantagens são o aumento dos intervalos de troca de óleo e a durabilidade maior dos componentes, com reflexo positivo na vida útil do motor.
A Caravana Ford Econoshow é composta de dois eventos paralelos. O programa para frotistas é realizado nos distribuidores Ford Caminhões, enquanto para os motoristas autônomos acontece em postos de combustível. Os dois incluem test-drive do cavalo-mecânico Cargo 1933 e do trucado Cargo 2429, em percursos rodoviários, com acompanhamento de instrutores especializados. Parceiros e fornecedores da Ford, incluindo Cummins, Shell, Autotrac e Rossetti, também apóiam o programa.
Concurso para motoristas
Para os motoristas, outra atração é o concurso “O Motorista Mais Econômico do Brasil”. Para concorrer, basta participar do test-drive e outras atividades do programa e responder a um questionário sobre economia ao volante, durante uma das 13 etapas da caravana.
Os vencedores de cada etapa participarão, na fase final, de um teste prático de direção econômica em uma pista fechada, em São Paulo. O dono da melhor performance será eleito “O Motorista Mais Econômico do Brasil” e ganhará um Cargo 1933 personalizado pela dupla sertaneja Chitãozinho & Xororó. O vencedor viajará no jato particular da dupla, com direito a um acompanhante, e receberá as chaves do caminhão no palco, durante um show em dezembro.
Programação
A Caravana teve início em Campinas e Caçapava, em São Paulo. As demais etapas podem ser acompanhadas pelo site www.fordeconoshow.com.br e serão realizadas nas cidades de: Cachoeiro do Itapemirim, ES (3 a 5/10), Vitória, ES (9 a 11/10), Divinópolis, MG (17 a 19/10), Uberlândia, MG (24 a 26/10), Goiânia, GO (30/10 a 1º/11), São José do Rio Preto, SP (5 a 7/11), Maringá, PR (12 a 14/11), Cascavel, PR (21 a 23/11), Passo Fundo, RS (28 a 30/11), e Caxias do Sul, RS (5 a 7/12).
Fonte: Ford Caminhões

O PARADA - Pacto Nacional pela Redução de Acidentes

A presidenta da Republica, Dilma Rousseff, fala sobre o PARADA - Pacto Nacional pela Redução de Acidentes - em seu programa semanal "Café com a Presidenta".

Acesse e confira: http://cafe.ebc.com.br/

Apresentador: E como vai ser essa mobilização, presidenta? 

Presidenta: Nós vamos fazer uma ampla campanha de conscientização, inclusive com a parceria da Federação Internacional de Automobilismo, que organiza as corridas de Fórmula 1. O nosso objetivo é incentivar os brasileiros a mudar o comportamento no trânsito. Nós temos que evitar que o motorista dirija em alta velocidade, que o motorista pegue o volante depois de beber. Sempre lembrando também, Luciano, que todos precisam usar o cinto de segurança. Além disso, nós estamos realizando obras para melhorar as rodovias de todo o país. Com o Plano de Investimentos em Logística, vão ser investidos R$ 42 bilhões para duplicar e modernizar mais de 7.500 km de rodovias. Também, Luciano, estamos investindo quase R$ 40 bilhões para melhorar o transporte coletivo nos grandes centros urbanos do país. Precisamos ainda adaptar a legislação para punir com mais rigor quem adota comportamentos de risco no trânsito, porque você sabe, quem comete uma imprudência no trânsito não está colocando em risco só a própria vida, mas também está colocando em risco a vida dos outros. 

Publicado em 01/10/2012 no site http://cafe.ebc.com.br/