Motorista Comprometido

Motorista Comprometido
Arquivo: HighPluss Treinamentos, 2017.

Notícias

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Rodovias federais têm 222 mortes no Natal


Número é 28% maior do que em 2011, segundo levantamento da PRF; acidentes passam de 3.000

Trânsito na rodovia Fernão Dias, próximo a Atibaia, sentido capital-interior
Trânsito na rodovia Fernão Dias, próximo a Atibaia (SP). Estradas federais registraram mais de 3.000 acidentes no Natal.(Luis Moura/Folhapress)
O Natal deste ano foi mais sangrento nas estradas federais do Brasil,. Balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgado na tarde desta quarta-feira contabilizou 222 mortos em acidentes entre os dias 21 e 25 de dezembro. O número é 28% maior do que registrado no ano passado, levando em conta o aumento da frota nacional de veículos, segundo a PRF. Além das mortes, 1.942 pessoas ficaram feridas em acidentes. Em 2011, foram registradas 161 mortes e 1.965 feridos.  
O aumento de mortes acontece mesmo com a redução do número total de acidentes nas rodovias. Neste ano, a PRF registrou  3.027 acidentes, contra 3.296 em 2011 (uma redução de 14,5%). De acordo com o órgão, um levantamento preliminar aponta que as ultrapassagens mal sucedidas foram responsáveis por quase 1/3 dos acidentes fatais que aconteceram no período.
O levantamento também aponta um aumento da gravidade de “grandes acidentes”  nas estradas. Em 2011, foram registrados no período de Natal apenas três acidentes com quatro mortes ou mais que, somados, resultaram em 13 mortes. No Natal de 2012, a PRF atendeu a sete acidentes semelhantes, que resultaram em 36 mortes. Seis desses acidentes foram colisões frontais – cinco delas com caminhões. 
Publicado em 26/12/2012 no site http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/rodovias-federais-tem-222-mortes-no-natal

Multa da Lei Seca dobra e chega a quase R$ 2 mil


Provas testemunhais, vídeos e fotografias também serão usados como prova de embriaguez

Foto: Clarise Castro/Governo do RJMulta da Lei Seca dobra e chega a quase R$ 2 mil
A Lei nº 12.760, mais conhecida como Lei Seca, passa a ser mais rigorosa a partir desta sexta-feira (21). O Diário Oficial da União traz as alterações na norma, que passou a considerar provas testemunhais, vídeos e fotografias como forma de comprovar a embriaguez ou o uso de drogas ilícitas por motoristas. Além disso, o valor da multa cobrada dos infratores dobrou, passou de R$ 957,65 para R$ 1.915,30.

Anteriormente, a Lei considerava que o condutor envolvido em acidente ou alvo de fiscalização de trânsito teria que ser submetido ao teste do bafômetro ou exame de sangue para comprovar a infração. Agora, a perícia e outros procedimentos que permitam certificar influência de álcool ou drogas poderão ser utilizados como provas.

Com as mudanças, o motorista reincidente na infração dentro do prazo de um ano terá o valor da penalidade duplicado, chegando a R$ 3.830,60. Além disso, ele terá suspenso o direito de dirigir por um ano. O texto determina também o recolhimento da habilitação e retenção do veículo.
​ 
Fonte: Jacy Diello - Agência CNT de Notícias
Publicado em 21/12/2012 no site http://www.cnt.org.br/Paginas/Agencia_Noticia.aspx?noticia=21122012-Leiseca-novas-regras

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

O brilho e a mensagem dos ônibus de Natal



ônibus de Natal

Ônibus de Natal da Sambaíba, em São Paulo
ônibus de Natal
Ônibus da Noiva do Mar, no Rio Grande do Sul
O brilho dos ônibus Natalinos
Iniciativas de empresas e funcionários dos transportes já são tradição em muitas cidades e acabam sendo uma forma de alegrar a rotina dos passageiros
ADAMO BAZANI – CBN
Por onde eles passam, as reações são as mais diversas possíveis. Admiração, sorrisos, brilhos nos olhos e até lágrimas. Às vezes as pessoas tentam disfarçar, outras não deixam a timidez ou orgulho tomar conta.
Os ônibus natalinos já são tradição em várias cidades, das menores até as metrópoles.
Iniciativas de empresas ou mesmo isoladas dos próprios funcionários dos transportes públicos não deixam de ser uma maneira de alegrar a difícil rotina dos passageiros e de, por alguma maneira, dizer “obrigado” a população que é a verdadeira razão de um serviço de ônibus existir.
Ônibus são para pessoas e como a própria origem do nome diz, são para todos.
E como são para pessoas, os ônibus transportam sonhos. E nada melhor que o Natal para expressar isso. Natal é época de sonhar, de o adulto voltar à pureza de coração de uma criança, Natal é viagem, uma viagem ao interior. E que tal pegarmos nosso “ônibus dos sentimos” e irmos lá dentro, no nosso fundo do coração, e embarcarmos nossos bons desejos e levá-los a um local de destaque entre nossas metas?
Ônibus natalinos simples, às vezes com um adesivo apenas, outros mais decorados, cheios de iluminação e até corais de música. Papai Noel que dirige e transporta os passageiros no seu dia a dia, ônibus que é usado para levar solidariedade ajudando instituições que atendem aos mais carentes, enfim, ônibus natalino é parte já desta época do ano na qual as pessoas têm a oportunidade de refletir.
ônibus Natal
Ônibus enfeitado para transporte de turistas, no Paraná
ônibus Natal
Em diversos países, os ônibus natalinos também são tradição.
Deixe as luzes destes gigantes serem indutoras de uma luz maior, que existe dentro de cada um, mas que às vezes, precisa ser redescoberta. E os ônibus natalinos acabam ajudando isso, mesmo em meio ao estresse das cidades.
Eles levam alegria e solidariedade, conforto e um carinho, tudo o que o mestre desta data, Jesus Cristo, pregou. E seus ensinamentos são também para todos, independentemente de crenças ou religiões. As pessoas podem até não acreditar em Jesus como Deus, como Salvador, mas devem reconhecer a importância de sua mensagem de amor ao próximo. Amar ao próximo é sobretudo pensar no coletivo.
Feliz Natal.
Publicado em 25/12/2012 por Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes. Blogpontodeonibus

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Feliz Natal e Próspero 2013 - HighPluss - Joinville

Fonte: HighPluss, 2012.


A HighPluss agradece a Você Visitante do Blog Motorista Profissional e aos Clientes, Fornecedores, Parceiros e Amigos que juntos construíram um ano repleto de 
realizações e conquistas.

      Que Você tenha um Feliz Natal e Próspero 2013! 

Com Muita Luz e Sabedoria para conduzir 
com Sucesso seu Projeto de Vida. 

HighPluss Treinamentos


      



    

domingo, 16 de dezembro de 2012

Projeto que pode suspender lei do motorista fica para o ano que vem



onibus
Lei 12.619/12, que regulamenta a profissão de motorista ainda traz muita confusão e Câmara deve votar Projeto de Decreto Legislativo que pode suspender a lei. Deputado é contra o fato de um órgão inferior, o Contran, determinar o que órgãos superiores, Ministério dos Transportes e Ministério do Trabalho, devam fazer. Além disso não deixa claro nem para os agentes das polícias rodoviárias e nem para os motoristas quais rodovias que oferecem ou não estrutura para pontos de descanso e assim para fiscalizações punitivas.
Projeto quer suspender Lei do Motorista
Deputado diz que do jeito que está lei traz insegurança jurídica para motoristas e agentes de fiscalização por não deixar claro quais as rodovias onde pode haver punição
ADAMO BAZANI – CBN
Pode ser vitrine política, pode ser oportunismo, ou simplesmente representatividade, mas as Comissões de Viação e Transportes, de Constituição e Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados vão analisar no próximo ano o Projeto de Decreto Legislativo PDC 711/2012 que propõe a suspensão da lei que regulamenta a profissão de motorista.
A lei foi uma das responsáveis pela greve dos caminhoneiros no meio do ano.
Entre outros pontos, a lei 12.619/12 estipula tempos de descanso no meio da jornada e entre as jornadas para evitar abusos trabalhistas e impedir que os motoristas dirijam cansados, o que pode aumentar os riscos de acidentes.
A cada quatro horas dirigidas, com possibilidade de prorrogação para cinco horas se não houver local de parada, o motorista deve fazer uma pausa de 30 minutos.
Entre uma jornada e outra, o descanso diário tem de ser de 11 horas, que podem ser fracionadas em nove horas seguidas e mais duas horas ininterruptas.
O autor do projeto para a suspensão, deputado Arnaldo Faria de Sá, entende que há um problema em relação a possível inversão de hierarquias de órgãos do Poder Executivo.
Ele critica o fato de a Resolução 417/12 do Contran – Conselho Nacional de Trânsito determinar que a fiscalização punitiva a motoristas de transportes escolares, de ônibus e de caminhões e carretas só seja realizada em rodovias que ofereçam pontos de descanso e ainda obriga os ministérios do Trabalho e dos Transportes a providenciarem num prazo de 180 dias a relação de rodovias federais cuja fiscalização pode ou não ser aplicada.
Para Faria de Sá, o Contran não tem legitimidade para obrigar nada a ministérios que são órgãos superiores.
Além disso, ele questiona o fato de a relação só abranger as estradas federais, excluindo as estaduais.
Com estes desencontros, o deputado acredita que a lei abre brechas para insegurança jurídica tanto para a população quanto para os agentes de fiscalização.
Para ele, os agentes não sabem se cumprem a lei, se fiscalizam se os motoristas estão cumprindo ou não ou ainda se devem cumprir a resolução e verificar se a rodovia se enquadra ou não na resolução que ainda vai ser preparada pelos ministérios, o que na prática, inviabiliza as fiscalizações.
O cidadão também não sabe se a rodovia onde está oferece estrutura para descanso e se pode ou não extrapolar os tempos de jornada de trabalho determinados pela que regulamenta a profissão de motorista. Por conta da condição estrutural da estrada.
Depois de análise nas comissões da Câmara, o Projeto de Decreto Legislativo vai ser levado a votação em plenário.

Publicado em 16/12/2012 por Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes. Blogpontodeonibus

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Programa Transportadora da Vida reduz em 32% acidentes envolvendo caminhões


Ocorreu na manhã de quarta-feira, 12, a solenidade de certificação de 35 empresas participantes do Programa Transportadora da Vida 2012, uma parceria entre o SETCERGS e a Fundação Thiago de Moraes Gonzaga. Instituído em 2006, o programa tem por objetivo reconhecer as empresas de transporte rodoviário de cargas que assumiram o compromisso com a vida, levando aos seus motoristas, familiares e comunidade, o conhecimento e a conscientização da responsabilidade durante a condução dos veículos.
A solenidade realizada no auditório do Centro de Eventos FIERGS foi prestigiada pelo Secretário de Infraestrutura e Logística do RS (SEINFRA/RS), Caleb de Oliveira; o comandante do Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), Coronel Carlos Magno Schwartz Oliveira; a presidente da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, Diza Gonzaga; o presidente José Carlos Silvano, diretores e associados do SETCERGS.
Diza Gonzaga lembrou que o trânsito no Brasil apresenta números de uma guerra. "São mais de 50 mil mortes e 300 mil pessoas mutiladas ao ano. Entretanto, esses dados não são exatos porque só contabilizam os óbitos registrados nos locais dos acidentes, o que certamente elevaria as estatísticas para mais de 100 mil", declarou a presidente da Fundação, ressaltando que atualmente o país ocupa o quarto lugar em vítimas do trânsito.
Portadora de uma notícia animadora para mudar esse quadro trágico, Diza revelou que a parceria da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga com o SETCERGS conseguiu reduzir em 32% o número de acidentes envolvendo "os gigantes da estradas", como ela denomina. "Tem empresa que alcançou o índice de 74%", comemorou o êxito dessa parceria.
O presidente José Carlos Silvano salientou que o SETCERGS vem se notabilizando por ações de responsabilidade social. "Optamos pela parceria com a Fundação por ser uma instituição que transcende as fronteiras do Brasil, com grande reconhecimento no exterior", assinalou. A cada ano o Programa vem ganhando mais adesões. "Isso mostra que o Sindicato optou pelo caminho certo, com a redução de acidentes de trânsito envolvendo os veículos de cargas. O selo Transportadora da Vida está difundindo nas estradas brasileiras essa união e integração de todos pela preservação da vida", complementou Silvano.
Já o titular da SEINFRA/RS comentou que acompanha há muito tempo as ações da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga e do SETCERGS. "É muito positivo este esforço visando reduzir as mortes no trânsito. Sabemos que estamos devendo uma malha rodoviária mais adequada. Mas a capacidade de investimentos do Estado estava reduzida por outras questões. O trabalho do ex-secretário Beto Albuquerque permitiu que esse cenário esteja mudando", constatou Caleb de Oliveira.
Premiação



Este ano o Programa Transportadora da Vida inovou com a criação das categorias Transporte de Produto Perigoso e Transporte de Produto Não Perigoso, onde as empresas, ao se inscreverem, optaram pela categoria mais adequada a sua característica de operação. Também foram homenageados os motoristas das empresas pelo mérito alcançado em 2012. A Braskem, empresa "Amiga da Vida", que através da mobilização do grupo parceria consciente incentiva e realiza ações de conscientização e valorização da vida e a Vonpar, que solicita em seus processos de licitação a certificação no Programa Transportadora da Vida, também mereceram o reconhecimento no evento.
Coube aos presidentes José Carlos Silvano e Diza Gonzaga entregarem os troféus "Empresa Destaque 2012", nas categorias Bronze, Prata e Ouro para as seguintes empresas que atingiram a maior pontuação na lista de verificação:

Transporte de Produtos Perigosos
• Troféu Ouro: Henrique Stefani
• Troféu Prata: Roglio Logística
• Troféu Bronze: Eichenberg Kuehne Nagel Company

Transporte de Produto Não Perigosos
• Troféu Ouro: VBR Logística
• Troféu Prata: Panex Transporte
• Troféu Bronze: Scapini Transporte e Logística
Publicado em 13/12/2012 na Coluna do Jornal do Comércio - SETCERGS

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Lei do Descanso: nos Estados Unidos, o assunto é sério


Enquanto no Brasil a recente Lei do Descanso – 12.619 – provoca discussões e resistências, nos Estados Unidos a jornada de trabalho do motorista de transporte de carga é regulamentada desde 1940. De vez em quando, a lei muda – para aumentar o descanso. A última vez foi em dezembro do ano passado: o limite de horas ao volante foi reduzido de 82 para 70 horas semanais.
O caminhoneiro norte-americano pode trabalhar até 14 horas por dia. No volante, não pode passar de 11 horas. Nas outras três, o caminhão tem que estar parado. E ao fim das 11 (ou das 14) horas, ele tem que fazer um descanso de 10 horas.
Esses limites refletem o resultado de pesquisas que avaliaram a fadiga dos motoristas nas estradas, disse o secretário de Transporte dos Estados Unidos (equivalente a ministro no Brasil), Ray LaHood, quando o governo propôs a lei atual.
Conforme dados do Instituto de Seguros dos Estados Unidos para Segurança Estradas, o risco de acidente, para o motorista de caminhão que fica ao volante mais de oito horas, é mais que o dobro do motorista descansado.
Esses limites de jornada de trabalho são parecidos com os que estão em vigor no Brasil. Os motoristas americanos reclamam. Não do salário, que lá é melhor que aqui. Mas eles também sofrem pressões das empresas para cumprir horários impossíveis. Outra queixa é uma coisa só deles: são obrigados a anotar, num diário de bordo, os horários que cumpriram a cada dia. É o diário que os inspetores vão verificar, na estrada.
Lá, a fiscalização é coisa séria – e a punição pode ser cadeia. Em 2011, os 12 mil inspetores federais e estaduais que fiscalizam os 7 milhões de caminhões existentes no país, realizaram 3,5 milhões de abordagens e verificações nas rodovias, resultando na comprovação de 1,2 milhões de violações. Desse total, quase metade – 578 mil – foi constatada no diário de motoristas: excesso de horas de trabalho, falsos diários, preenchimento desatualizado ou incorreto. A multa por não manter o diário atualizado é de 1 mil dólares por dia, podendo atingir até o valor máximo de 10 mil – mais de R$ 20 mil.
Derrick Roskam, do Estado de Iowa, disse que o relatório diário é tão cheio de detalhes que existem vídeos no Youtube ensinando a preencher. “Eu até poderia arrancar uma folha e fingir que não trabalhei hoje, mas se um auditor viesse à minha casa e analisasse todos os meus diários dos últimos dois meses, ele perceberia que burlei a lei e me daria uma multa salgada”, contou Roskam. “Além disso, eles passariam a prestar mais atenção em mim no futuro”.
Roskam disse que o registro diário existe há décadas. O assunto é tão sério que, em maio passado, o motorista Valerijs Nikolaevich Belovs, de 58 anos, foi sentenciado a 18 meses de prisão, após confessar que tinha falsificado seu diário no dia em que provocou um grave acidente na Virgínia”.
Allen Kroeze nunca se envolveu em acidentes. Ele também critica o detalhismo do diário. “Temos que especificar o número de horas dirigindo, carregando ou descarregando o caminhão, ou esperando em fila. O tempo perdido em espera não pode ser compensado como se fosse de descanso”. Também existem papéis relativos ao seguro e ao peso do caminhão para preencher, disse ele.
Kroeze é caminhoneiro há quatro anos. Em 2008, desembolsou 110 mil dólares (R$ 220 mil) por um caminhão e partiu para a estrada. “O gasto com manutenção é elevado, mês passado paguei 4 mil dólares por oito pneus, mas dá para ganhar algum dinheiro”, informou.
Dois motoristas encontrados pela reportagem numa área de descanso em Tulsa, Oklahoma, têm experiências diferentes em relação ao diário de bordo.
O texano David Lax, na estrada há 19 anos, prefere preencher tudo direitinho, apesar do trabalho que dá. “Na empresa, sempre pegam o meu diário como exemplo. Na estrada, os fiscais não ficam me segurando, quando vêem que está tudo organizado”, conta David.
Alan Turner confessou que já desobedeceu a lei do descanso e se deu mal. “Uma vez, na Califórnia, fiquei detido 24 horas por ter ficado 20 horas ao volante e só fui liberado depois de pagar fiança”. Ele põe a culpa na empresa: “A companhia pressiona e você acaba rodando mais do que o permitido”. Em outra ocasião, passou pela balança e nem viu a sinalização. “Estava tão cansado que já não tinha reflexo e nem enxergava direito. Fui perceber a balança depois que já havia passado”.
No Brasil, muito mais mortes do que lá
As estatísticas de acidentes de trânsito dos Estados Unidos dizem o seguinte: em 2010, 3.413 pessoas morreram em acidentes com caminhões de grande porte no país. Poucas dessas vítimas estavam nos caminhões – só 14%. Entre as demais, 72% estavam em veículos pequenos e 13% eram pedestres, ciclistas ou motociclistas. Em choques entre caminhões e carros, 97% das mortes foram dos ocupantes dos carros.
No Brasil, não temos dados tão precisos. Um estudo feito pela Pamcary, divulgado em 2009, informava que os acidentes com caminhões matam 8.000 pessoas por ano. Outra informação, constante no Portal Volvo de Segurança no Trânsito, diz que o número de mortes nesses acidentes chega a 12.000 por ano. O Brasil tem menos de 2 milhões de caminhões. O nosso índice de mortes é 14 vezes maior que o dos Estados Unidos.
Fonte: Revista Carga Pesada
Publicado em 10/12/2012 por Rafael Brusque Toporowicz no site http://blogdocaminhoneiro.com/lei-do-descanso-nos-estados-unidos-o-assunto-e-serio

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Direção Defensiva é uma Decisão Inteligente!

Direção Defensiva é uma Decisão Inteligente!

Os Motoristas da sua empresa sabem diferenciar a Direção Defensiva  da Direção Agressiva? 

Como estão os índices de acidentes e as multas por excesso de velocidade? 

Como estão as manutenções corretivas dos veículos existentes na empresa?  

Palestra VIP para Motoristas com conteúdos diferenciados e focados no melhor para o "Cliente Final". 

Motorista Profissional realmente preparado, sem dúvida, prestará serviços mais seguros e confiáveis aos clientes. Pense nisso! 

A HighPluss Treinamentos é o parceiro da sua frota. 

Contato: treinamentos@highpluss.com.br 

domingo, 9 de dezembro de 2012

Empresas de Curitiba dizem que vão aumentar passagem por causa de cobrador

Empresas de Curitiba dizem que fim da dupla função vai aumentar tarifas
Companhias serão proibidas de manter motoristas que dirigem e cobram ao mesmo tempo
ADAMO BAZANI – CBN
As empresas de ônibus em Curitiba serão obrigadas em quatro meses a extinguir a dupla função no transporte coletivo que consiste em o motorista dirigir o veículo e cobrar as passagens ao mesmo tempo.
O prefeito Luciano Ducci sancionou lei aprovada pela Câmara dos Vereadores. A alegação é de que dirigir e cobrar compromete a atenção do motorista e o nível de segurança no trânsito, além de aumentar o estresse do condutor de ônibus. Um dos argumentos usados é de que se dirigir e falar ao celular é proibido pelo Código de Trânsito Brasileiro porque atrapalha o motorista, ficar recebendo dinheiro e procurando troco para o passageiro também prejudicaria o desempenho do condutor.
Em Curitiba, há pelo menos 300 profissionais nestas condições que operam micro-ônibus ou ônibus midi, os famosos micrões, que são um pouco menores que os veículos convencionais, às vezes dois metros a menos.
As companhias não gostaram nada da lei e prometem entrar na Justiça contra a determinação da prefeitura.
O Setransp – Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana enviou uma nota à imprensa na qual diz que a lei é inconstitucional
“A lei é inconstitucional, já que determina aumento de custos do sistema sem apresentar a fonte de custeio. O Setransp irá à Justiça questionar a constitucionalidade desta nova lei. Hoje, em várias cidades brasileiras, não existe mais função de cobrador. Estes profissionais foram reaproveitados como fiscais e vendedores de bilhetes, ou realocados como motoristas”.
O sindicato ainda alegou que se forem necessárias novas contratações de cobradores para os ônibus cujo motorista também exercia esta função, o reajuste da tarifa vai ser maior que o previsto.
Já o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana – Sindimoc é favorável ao fim da dupla jornada. Para a entidade, os motoristas recebem um salário para exercerem dois trabalhos, o que fere a lei trabalhista, se arriscam pelo fato de terem a atenção comprometida, acarretam problemas de saúde por causa do estresse maior e para o passageiro, a presença do cobrador é vantajosa já que ele acaba ajudando na segurança e em informações sobre os pontos de parada e itinerários.
As empresas também alegam que em muitos casos, a presença do cobrador tem sido cada vez menos necessária pelo fato de a maior parte dos passageiros já pagar a tarifa pela bilhetagem eletrônica, com cartões.
Após a vigência da determinação, as empresas flagradas sem o cobrador serão advertidas e terão 30 deias para se adequar. Passando este prazo de recurso, a multa é de R$ 10 mil por caso. Em reincidências, a empresa de ônibus pode ter a permissão de operar suspensa.


Publicado em 05/12/2012 por Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes. Blogpontodeonibus

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Neobus estreia no segmento de ônibus rodoviários com o New Road N10


Com um grande evento para convidados no Transamérica Expo Center, em São Paulo, a Neobus lançou nesta quinta-feira (dia 29) o seu primeiro ônibus rodoviário, o New Road – N10. Ele será produzido na unidade industrial de Caxias do Sul (RS), devendo absorver mais 700 empregos diretos, segundo o presidente da empresa, Edson Tomiello.
O New Road N10 reflete a nova filosofia de design da marca Neobus, elevando o DNA dos produtos a um novo patamar, marcado pela escultura fluida, recortes em ângulos V e vincos acentuados com um conceito de verticalização. “Ele se diferencia completamente de seus concorrentes pela sua originalidade e elegância”, afirma o gerente de design da Neobus, Leonidas Fleith.
O novo veículo da Neobus possui colunas frontais inclinadas em evidência, onde o brilho corre do inicio ao fim de sua superfície ao mesmo tempo transmitindo a exata ideia de robustez. Na parte central da grade, em destaque, está alojado a logomarca Neobus, realçada por uma moldura, juntamente com a logomarca do fabricante de chassi.
Produto com linguagem de design e estilo inconfundíveis, o New Road N10 se destaca pela faixa lateral que termina na coluna traseira, trazendo dinamismo, modernidade e limpeza. O mesmo conceito se estende à traseira do veículo, cujo volume é marcado por duas linhas vincadas e uma inclinação superior que consolida a grande aerodinâmica do modelo, arrematada por um spoiler discretamente localizado na parte superior.
Aerodinâmica
O desenho foi concebido aerodinamicamente para garantir a maior fluidez. Desta maneira chegou-se ao menor Cx do segmento, traduzido em economia de combustível. Além desta excelente aerodinâmica, o teto ainda foi concebido com a função de embutir o ar condicionado e ainda fazer a drenagem de toda água do teto, através de um sistema de calhas duplas que direcionam o líquido para as extremidades do veiculo, evitando que escorra pelas laterais ainda eliminando o acúmulo sobre o teto.
Iluminação externa do veículo
O New Road N10 traz iluminação externa desenvolvida com tecnologia Led, seguindo a tendência dos automóveis premiuns, atendendo a todas normas nacionais e internacionais. O conjunto optico dianteiro tem uma visão frontal verticalizada, farol elíptico, DRL (Daytime Running Lamp) integrado ao conjunto que assina a personalidade do produto. As lanternas traseiras modulares seguem o mesmo conceito de personalização, trazendo um design original. “Mesmo à distância e no escuro, percebe-se que é um genuíno Neobus”, afirma o presidente da empresa, Edson Tomiello.
Tecnologia embarcada
O desenvolvimento deste produto teve como meta elevar o ônibus a um novo patamar tecnológico. Para isso, investiu se em pesquisa e desenvolvimento, parcerias internacionais e muita inovação, que trouxeram ao projeto um nível altamente tecnológico, sempre com foco na facilidade de operação, segurança e robustez dos sistemas. Isto estreitou ainda mais a distância entre um ônibus e um automóvel premium. Para tal foi criado um centro tecnológico para pesquisa e desenvolvimento de novos produtos com área construída de quatro mil metros quadrados, que conta com robôs computadorizados, centros de usinagem, braço tridimensional, scanner 3D, impressora 3D, mini-túnel de vento, laboratórios e engenharia de experimentos.
O New Road N10 vem equipado de série com um computador de bordo da carroceria que traz segurança dupla, onde os principais controles podem ser executados tanto no visor touch screen quanto nas teclas analógicas. garantindo que o veículo não pare por uma pane. Ele conta com um painel com 56 teclas para a operação e ainda incorpora uma tela de LCD de 7 polegadas touch screen onde são visualizadas as funções do veículo que também podem ser executadas por ela. Além disso, esta central faz todo o controle do sistema de áudio, vídeo e entretenimento para motorista e salão de passageiros. O equipamento conta ainda com DVD, rádio, CD, MP3, TV digital, GPS, bluetooth com viva voz, entradas auxiliares para câmeras, e vem preparado com o sistema de gerenciamento de frota totalmente compatível com a carroceria.
Conforto para os passageiros
As poltronas do New Road N10 foram desenvolvidas através de estudos de ergonomia e resistência estrutural trazendo grande conforto, robustez e leveza, proporcionando a maior largura do mercado. As poltronas atendem às normas nacionais e internacionais de segurança. Traz de série cintos de segurança duas pontas retráteis – com opção de 3 pontos retratéis, e revestimento traseiro impermeável. As espumas são de múltiplas densidades e contam, como opcional, com apoio de cabeça em Viscolatex, uma espuma desenvolvida exclusivamente para este produto.
O porta-pacotes tem desenho limpo, sem suportes aparentes, com pega-mão integrado e com porta-focos de alta tecnologia em Led e direcionais, onde o acionamento se dá por toque, eliminando totalmente os botões. Traz o aviso de WC ocupado em cada foco e conta com opção de controles individuais de volume. A iluminação é indireta em Led SMD, incorporada ao porta pacotes e ainda conta, como item de serie, com sistema de cromoterapia, onde pode-se escolher entre 256 cores disponíveis, além do modo automático onde há variação de forma suave, trazendo uma sensação única aos passageiros. A Neobus, aliás, é pioneira ao incorporar a cromoterapia em seus produtos.
O sistema de mídia para o passageiro pode ser com monitores individuais incorporados à poltrona, no porta pacotes retrátil tipo avião ou ainda o tradicional monitor junto ao teto. Conta com um monitor de 22 polegadas integrado à parede de separação desenvolvida com formato curvo para a frente do veiculo. Isso garante uma perfeita visualização do monitor dianteiro mesmo nas primeiras poltronas, transmitindo uma sensação de robustez, segurança e amplitude.
O acabamento interno traz materiais inovadores de alta qualidade e tecnologia que garantem, também, o térmico e acústico, estando apto a operar nos climas mais severos onde a temperatura externa pode variar entre -30° graus centígrados e +50° centígrados.
O sanitário totalmente novo foi desenvolvido pensando no maior conforto do usuário, com grande espaço interno e linhas fluidas de desenho garantindo fácil acessibilidade. Ele conta com um sistema de exaustão mecânica que gera sempre pressão negativa no interior, garantindo que os odores não entrem para o salão de passageiros. O espaço é refrigerado e possui iluminação por Led. As torneiras possuem temporizador mecânico e conta opcionalmente com mictório.
São oferecidos dois sistemas de bares para o salão: um vertical com desenho exclusivo, geladeira, suqueira e cafeteira, e outro com rodomoça na traseira com geladeira dupla, suqueira, cafeteira e pia.
Conforto para o motorista
O New Road N10 valoriza o posto do motorista, que conta com geladeira integrada ao apoio de braços lateral como opcional, múltiplas saídas de ar na cabine, opção de ar condicionado independente com sistema de desembaçamento de grande capacidade, iluminação da cabine com Led, computador de bordo, painel ergonômico no conceito automotivo, além de um amplo espaço interno. A porta de serviço possui amplo acesso e a abertura ocorre por controle remoto de série. Os espelhos retrovisores exclusivos, com luzes direcionais e luz de cortesia para abertura de porta, permitem ótima visualização e tem opção de controle elétrico com sistema se desembaçamento. A escada possui luz de degraus semi-direta, que não atrapalha o motorista e acende automaticamente com a abertura da porta. As portinholas do bagageiro possuem maçanetas exclusivas que permitem fácil destravamento com uma única chave para todo veiculo. Conta ainda com sistema de vedação dupla na parte inferior que evita acúmulo de sujeira na parte inferior da portinhola.
Segurança
O projeto foi desenvolvido atendendo às mais rigorosas normas de segurança, R66, versão 1, que exige validação do projeto através de cálculo estrutural por elementos finitos além dos testes práticos que envolvem teste de tombamento, teste de impacto frontal/lateral, teste de inclinação máxima lateral e teste de célula de sobrevivência. O maior desafio da engenharia no desenvolvimento do projeto New Road N10 foi atender a todos quesitos de segurança, sendo um carro robusto, o mais leve da categoria e atender a lei da balança. “Em resumo, o New Road N10 transporta mais por menos, consumindo menos combustível”, afirma o diretor de engenharia da Neobus, Adelir Boschetti.
Manutenção
Segundo Boschetti, tudo no New Road N10 foi desenvolvido pensando na facilidade de manutenção. O aro de rodas é basculante permitindo acesso total à manutenção de suspensão e pneu, e a grade dianteira possui grande abertura com sistema de subida automática. O veículo também possui tampas laterais e traseiras de amplo acesso para facilitar a manutenção do chassi. Foi desenvolvido um porta-estepe na dianteira com sistema tipo gaveta e acesso pelo para-choque dianteiro que é retrátil e ainda possui roldanas de deslizamento. A própria estrutura de sustentação do estepe funciona como proteção da parte inferior dianteira da carroceria.
Ventilação do compartimento do motor
A saída de ar traseira foi concebida para permitir a maior exaustão de ar do motor. Isso se deve ao posicionamento e desenho das aletas acima da tampa traseira que direcionam o ar quente diretamente para fora do veículo. Isso reduz o aquecimento no salão e evita o superaquecimento do motor.
Características básicas da carroceria
Largura: 2600mm
Comprimentos: 12000mm, 12500mm, 13100mm, 14000mm e 15000mm
Altura da carroceria: New Road 360-3600mm/New Road 380-3800mm
Altura interna: 1950mm
Altura do bagageiro: New Road 360-1050mm/New Road 380-1200mm
Largura da poltrona: 1065mm
Fonte: Neobus
Publicado em 03/12/2012 por Rafael Brusque Toporowicz no site http://blogdocaminhoneiro.com/neobus-estreia-no-segmento-de-onibus-rodoviarios-com-o-new-road-n10

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Acidentes envolvendo caminhões crescem 30% no noroeste paulista


A mistura de viagens longas e caminhoneiros que não descansam podem provocar acidentes e muitas vezes a morte de pessoas que não tem nada a ver com esse problema. Na região noroeste paulista, os casos têm sido cada vez mais freqüentes.

Sem o descanso necessário, muitos motoristas se arriscam e seguem viagem pelas rodovias. De acordo com levantamento da Polícia Rodoviária de janeiro a outubro deste ano 30% dos acidentes registrados na região envolveram caminhões.
Em Votuporanga (SP), um caminhão desgovernado tirou a vida de pai e filho há duas semanas e reabriu a discussão em torno do assunto, que precisa de atenção urgente de motoristas e autoridades. Jorge Dorti da Rocha, de 44 anos, e Anderson Pedro da Rocha, de 18, seguiam de bicicleta pelo acostamento da Rodovia Euclides da Cunha quando foram atingidos por um caminhão carregado com madeira.
Durante o registro da ocorrência, a polícia constatou que o motorista que provocou o acidente estava dirigindo há mais de sete horas sem parar para descansar. Um inquérito foi aberto e as circunstâncias que causaram o acidente serão investigadas pela Polícia Civil.
Uma lei aprovada pelo Governo Federal determina que a cada quatro horas seguidas ao volante o motorista de caminhão descanse meia hora. A medida, que entrou em vigor em setembro, foi prorrogada e deve passar a valer a partir de março de 2013 para que pontos de parada sejam instalados nas pistas.
Fonte: G1
Publicado em 04/12/2012 por  Rafael Brusque Toporowicz no site http://blogdocaminhoneiro.com/acidentes-envolvendo-caminhoes-crescem-30-no-noroeste-paulista