Motorista Comprometido

Motorista Comprometido
Arquivo: HighPluss Treinamentos, 2017.

Notícias

domingo, 30 de novembro de 2014

8º Aniversário da HighPluss - 2014

Arquivo: HighPluss, 2014.

Dia 26/11/2014 a HighPluss Exportação, Consultoria e Treinamentos completou o oitavo aniversário de fundação com uma trajetória de muitos aprendizados e grandes conquistas. Cada ano que passa a HighPluss avança nos projetos profissionais e sociais com foco em atender de maneira personalizada seu Cliente.

A HighPluss muito agradece a todos "Clientes, Fornecedores e Parceiros" por acreditarem na execução de projetos focados no equilíbrio entre o desenvolvimento e a prosperidade das pessoas e empresas.

A empresa desenvolve suas atividades profissionais focada nas competências técnicas para a realização dos projetos, bem como nas habilidades e atitudes necessárias em tornar o projeto próspero para o Cliente.

O ano de 2014 foi marcado em especial pelo lançamento e distribuição do Livro Motorista Comprometido - V1 no mercado brasileiro. Muito agradeço aos motoristas e as empresas pelo acolhimento da proposta do livro em aumentar o entendimento e o comprometimento com a segurança no trânsito das cidades e estradas brasileiras.

A empresa atende os mercados do Brasil e América Latina, com ênfase em Palestras para Motoristas, Consultoria Técnica / Administrativa, Desenvolvimento de Fornecedores e na Exportação de peças técnicas no segmento de transportes de passageiros e cargas. 

Muito agradeço aos Clientes, Fornecedores e Parceiros pela confiança depositada nos trabalhos oferecidos ao mercado.

HighPluss - Soluções VIP nas Práticas Profissionais
Contato: treinamentos@highpluss.com.br
Joinville - SC. - Brasil

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Palestra Motorista Comprometido no Giassi Bucarein em Joinville


Arquivo: HighPluss, 2014.

Arquivo: Nelsi Kurz, 2014.

25/11/2014 - Palestra sobre Motorista Comprometido no Giassi Bucarein em Joinville.

Agradeço mais uma vez pela parceria entre Giassi Supermercados e HighPluss na promoção do evento sobre a segurança no trânsito, qualidade de vida dos motoristas e pelo respeito a cultura da vida.

Muito agradeço ao Gerente Paulo Roberto do Giassi Supermercados, profissional comprometido com a segurança no trânsito e com a realidade dos motoristas.

Muito agradeço ao Motorista Profissional Adriano Alexssander da Luz, profissional comprometido e que exerce uma excelente liderança situacional.

Muito agradeço aos demais motoristas comprometidos com a cultura da vida e também pelas doações de alimentos aos pacientes renais da Fundação Pró-Rim.

É importante a discussão sobre o trânsito nas cidades e estradas, para que possamos desenvolver novos aprendizados e estarmos preparados e comprometidos para saber lidar com os diferentes comportamentos no trânsito. 

Seja um Multiplicador da Educação no Trânsito e faça parte da Cultura da Vida.
A Vida agradece!

Abraço e muita luz aos Motoristas!

José Rovaní
HighPluss Treinamentos - Joinville
Contato: treinamentos@highpluss.com.br
"Cinto de Segurança e Direção Defensiva salvam Vidas!" Pratique!

sábado, 22 de novembro de 2014

Quebra de asa – Uma manobra que custa caro

quebrada de asa Volvo FH
Quem vive na estrada já viu algum colega de profissão fazer a “quebra de asa”. A manobra consiste em balançar a carroceria de um lado para o outro, tirando as rodas da pista e contorcendo o implemento. A questão é que esta brincadeira pode sair caro para muita gente.
O movimento de balanço pode fazer com que o caminhão sofra danos estruturais. Como a carreta se projeta além da capacidade sobre a quinta roda, isso pode trincar o pino-rei, além de causar desalinhamento. Quando a carreta levanta e volta para sua posição correta, o impacto gerado pode causar sérios danos na suspensão, assim como desgaste extremo das laterais dos pneus.
Motoristas que realizam a “quebra de asa” podem responder pelo crime de direção perigosa, podendo até provocar algum acidente com outro veículo. Se houver mais de um caminhão fazendo disputa de manobras na estrada, a punição aumenta por ser considerado envolvimento em racha. A pena pode variar de seis meses a dois anos de prisão.
Outro risco provocado pelas manobras arriscadas é a capotagem do caminhão. O movimento de chicote da carroceria pode ser mais forte que a manobra, e o veículo tombar no meio do trecho.
Há também os fãs de caminhões que, na beira da estrada, pedem para os motoristas fazerem a quebra de asa só para poderem gravar no celular e publicar na internet. Uma manobra mal-sucedida pode colocar a vida deles em risco.
Em caso de direção perigosa, avise a Polícia Rodoviária Federal pelo número 191.
Fonte: Volvo na Estrada
Publicado em 22/11/2014 no Blog do Caminhoneiro.

domingo, 16 de novembro de 2014

Cresce número de multas por excesso de jornada

Fiscalizacao - excesso de jornada (2)
O número de multas a motoristas de caminhões ou ônibus flagrados dirigindo sem parar por mais de quatro horas nas rodovias da região de Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo) cresceu 132% de janeiro a outubro deste ano em relação ao mesmo período do ano passado.
Foram 79 autuações neste ano, contra as 34 de janeiro a outubro de 2013.
Segundo a Polícia Rodoviária, os profissionais contrariavam a Lei do Descanso, que estabelece limites de tempo para os condutores nas estradas.
No mesmo período, o número de mortes por acidentes em rodovias aumentou.
O comandante da Polícia Rodoviária na região, capitão Luiz Eduardo Ulian Junqueira, disse que os infratores colocaram vidas em risco, já que infringir a lei significa dirigir cansado, o que pode provocar perda de reflexos.
O desrespeito à lei pode ter sido uma das causas do acidente que deixou 13 pessoas mortas em Ibitinga (a 347 km de São Paulo) no mês passado, quando um ônibus e um caminhão bateram na rodovia Deputado Leônidas Pacheco Ferreira (SP-304).
As multas foram aplicadas em meio às discussões de flexibilização da Lei do Descanso, aprovada em maio de 2012 e que tem o objetivo de evitar que motoristas dirijam cansados pelas estradas do país.
A flexibilização se transformou em uma queda de braço entre entidades que representam motoristas e patrões.
A CNTTT (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Terrestres) diz, por exemplo, que é contra as mudanças na lei.
“Essas modificações, caso aprovadas, passarão a legalizar o sistema anterior de transporte, que mata mais de 40 mil pessoas por ano, colocando em risco a vida não só dos motoristas profissionais como também de usuários das vias”, disse o presidente Omar José Gomes, em nota.
Já o Setcesp (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de São Paulo) informou que enxerga as mudanças na lei como positivas, porque se “adapta à realidade do transporte brasileiro”.
Hoje o motorista dirige quatro horas e descansa 30 minutos, com 11 horas de intervalo após oito horas dirigidas.
Com a mudança, o motorista poderá dirigir até cinco horas e meia, com 30 minutos de descanso e outras oito horas de intervalo após oito horas de estrada.
O comandante da corporação disse que as fiscalizações aumentaram para diminuir o número de acidentes.
“Tem motorista que dirige embriagado, sob efeito de droga, tomando remédios para ficar acordado. Eles buscam percorrer a maior quilometragem em menos tempo.”
O presidente do Sindicato dos Condutores de Veículos Rodoviários de Ribeirão e Região, Walter Gomes, disse que a polícia precisa multar mais.
“É muito pouco [o número de autuações]. A lei não pode ser modificada. Precisa ficar como está. Ela veio para salvar vidas”, afirmou.
Antonio Nelson Rodrigues da Silva, professor do departamento de engenharia de transportes da USP São Carlos (a 232 km de São Paulo), também disse que o número de multas é baixo e que a polícia enfrenta dificuldades de fiscalização por ter um contingente insuficiente.Fiscalizacao - excesso de jornada (1)
Publicado em 14/11/2014 no Blog do Caminhoneiro.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

ATENÇÃO: Petrobras aumenta preço do diesel em 5% e da gasolina em 3%

A Petrobras acaba de anunciar aumento de 3% no preço da gasolina e de 5% no diesel nas refinarias. O aumento entra em vigor a partir da meia-noite de hoje. Nas bombas, diretamente para o consumidor, o reajuste pode ser outro.
A diretoria da estatal vinha pressionando o governo por um reajuste dos preços dos combustíveis. Em geral, a Petrobras compra combustíveis no exterior e revende-os no Brasil por um preço mais baixo, controlado pelo governo, sócio majoritário da empresa. O governo faz isso na tentativa de conter a inflação no país, mas essa diferença afeta as contas da estatal.
Apenas nas últimas semanas, com a forte queda no preço do petróleo no mercado internacional, a estatal passou a importar e vender o combustível sem prejuízo.
Ainda assim, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, tinha dito que a gasolina poderia subir no Brasil. Nos últimos meses, o ministro afirmou repetidas vezes que um reajuste de preço deveria acontecer neste ano.
Último reajuste foi em novembro do ano passado
O último ajuste de preço dos combustíveis foi em 30 de novembro do ano passado, quando a Petrobras anunciou aumento médio de 4% na gasolina e de 8% no diesel, nas refinarias.
Na época, especialistas calcularam que a alta da gasolina ao consumidor final seria de cerca de 3%.
Metodologia para reajuste dos combustíveis foi proposta há um ano
Em outubro do ano passado, a Petrobras tinha pedido ao seu Conselho de Administração uma nova política de preços, que previa reajustes automáticos e periódicos de combustíveis, conforme a necessidade de alinhamento com os valores praticados no mercado internacional.
fórmula desagradou a presidente Dilma Rousseff porque poderia aumentar a inflação e criar um mecanismo indesejável de indexação (aumentos automáticos sempre que uma determinada situação é atingida). A indexação foi um dos problemas para o país controlar a hiperinflação que existia até os anos 1990.
O Conselho da estatal, presidido pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, aprovou a implementação de uma política de preços, mas não divulgou mais detalhes sobre essa nova proposta. Na época, a Petrobras divulgou aumento do preço da gasolina em 4% e do diesel em 8%.
Analistas criticaram a decisão, dizendo que a falta de clareza sobre os critérios mantém incertezas para o mercado, em um momento em que a empresa enfrenta defasagem dos preços domésticos na comparação com os internacionais.
Fonte: UOL
Publicado em 07/11/2014 no Blog do Caminhoneiro.

domingo, 2 de novembro de 2014

Por ano, MS registra 30 mil multas por ultrapassagem proibida nas BRs

ultrapassagem proibida
Em Mato Grosso do Sul, são cerca de 30 mil multas por ano nas rodovias federais por causa da ultrapassagem proibida. A partir de 1º de novembro, as multas ficam mais pesadas com aumento de até 900%.
São 35 mortes só este ano nas BRs do estado. O número já é maior em relação a 2013, quando foram registradas 26 mortes nas rodovias federais. A ultrapassagem perigosa não é o principal motivo dos acidentes, mas está entre as principais causas de mortes.
Dependendo da ultrapassagem indevida, a infração varia de grave a gravíssima com 5 ou 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Em maio deste ano, dois homens morreram após colisão entre um carro e uma carreta. A polícia apurou que o veículo teria invadido a pista contrária quando colidiu com a carreta em uma curva, onde não é permitido ultrapassar.
Para quem ultrapassar em curvas, na faixa contínua, a multa saltou para R$ 957,70. O valor é o mesmo para quem ultrapassar pelo acostamento. Já em situação em que o motorista forçar ultrapassagem em uma pista simples obrigando um dos veículos a sair, a multa é de R$ 1.915,40.
Segundo o inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Fábio Sodré, os infratores podem ficar sem dirigir por até um ano. Caso voltem a cometer a mesma irregularidade nesse período, as multas são dobradas.
Fonte: TV Morena
Publicado em 30/10/2014 no Blog do Caminhoneiro.